Coulda Woulda Shoulda!

por Diana/ fotos Ana Brígida/ Styling Sofia Pires
Já muitas pessoas me perguntaram se antes de começar a praticar pole dance eu era uma 'pessoa normal', em que o conceito de 'pessoa normal' corresponde a uma pessoa sem background em dança, ginástica ou qualquer outra actividade desportiva ou artística. Sim!! Era uma 'pessoa normal'.  

Não fazia qualquer tipo de desporto ou dança quando me interessei por pole dance, e até comecei quase por brincadeira. Desafiada por uma amiga, fui experimentar uma aula, apaixonei-me e acabei por ver rapidamente os meus interesses a mudar de direcção.

Pratico pole dance há cerca de 3 anos, e neste momento não consigo imaginar a minha vida sem isso. Há quem diga que sou obcecada, eu chamo-lhe antes amor e dedicação. 

Percebi com o tempo que por trás daquela arte tão bonita e graciosa, há uma agressividade constante ao corpo. 
Exige demasiada força, flexibilidade, equilíbrio e resistência. Coisas para as quais o meu corpo não estava preparado e não estando preparado estava constantemente lesionado. Precisava de aulas de manutenção para criar um condicionamento físico apropriado à prática e o ginásio não era de todo uma opção. 

É nessa parte que entra o lindo e maravilhoso espaço onde actualmente frequento aulas, treino e lecciono — Jaya Yoga Shala. O espaço em si é lindo o suficiente para cativar de forma imediata qualquer pessoa que lá entre. No sétimo e último andar de um prédio junto à Gulbenkian, em Lisboa, destaca-se a imensa luz que entra pelas suas grandes janelas e o lindo terraço ladeado de plantas com vista sobre a cidade. Depois disso, mas não menos importante, é a atenção e o carinho que se sente de toda a gente que faz parte dessa família. Claro que sou suspeita para falar disso agora, porque também eu faço parte desse leque de professores e alunos, mas acredito que nenhum dos alunos me deixaria mentir a respeito disso. 

Foi há cerca de um ano que comecei a frequentar as aulas do Jaya e nunca na minha vida senti mudanças tão grandes, em tão pouco tempo e de uma forma tão segura. Eu mudei, o meu corpo mudou e tudo para melhor — é o que eu sinto (explicarei mais detalhadamente essa mudança num dos próximos posts). 

Dei uma volta à minha alimentação, desenvolvi a condição física mínima que precisava e ainda acabei por ficar fascinada pela acrobacia aérea circense, mais especificamente tecidos verticais e trapézio, nas quais acabei por fazer uma formação de professora. Lecciono no Jaya aulas de Iniciação aos Tecidos Verticais: aulas em que uma nova forma de liberdade é experienciada. 

Com os pés fora do chão, subindo e envolvendo-se no tecido, o aluno é desafiado a expressar-se graciosamente, criando linhas fortes e elegantes. Esta aula engloba exercícios de condicionamento físico específicos, que passam pela flexibilidade, força, equilíbrio e coordenação que ajudarão o aluno a sentir-se confortável no ar. 

E aulas de Acropole: onde os vários movimentos acrobáticos no varão são leccionados e conectados entre si. O foco está principalmente nas linhas, entradas e saídas, bem como nas transições, chegando assim a sequências de movimento fluídas, limpas e bem definidas, tendo sempre a componente acrobática bastante presente. 

Tudo isto acabou por me conduzir ao que sou hoje — uma pessoa feliz e realizada, mas com muitos mais, e grandes, desafios pela frente. Afinal isto ainda é só o começo.


E para começar esta rubrica da melhor maneira, nada melhor do que um... Tchan tchan tchan tchan... GIVEAWAY TIME!! Habilitem-se a ganhar uma das minhas aulas de acropole ou de tecidos verticais. Para isso basta gostarem da página de facebook do ChickHabit, da página de facebook do Jaya Yoga Shala, partilhar este post no facebook e preencher o formulário que segue em baixo. A pessoa sortuda será revelada dia 20. 

Difícil depois vai ser escolher qual das aulas fazer!

Sem comentários

Enviar um comentário

Professional Blog Designs by pipdig