L O B

Digam comigo: Aleluia!!! Hoje sinto-me uma Mulher com M grande! Passado anos consegui finalmente fazer o corte que queria sem ansiedades e arrependimentos. Só posso dizer, porque não o fiz há mais tempo?! 

 Sempre tive uma relação desequilibrada com o meu cabelo. O clássico trauma de infância. Um corte que não correu bem e em vez de perder 2 dedos de comprimento fiquei com um look à tijela... Durante muito tempo as idas ao cabeleireiro eram muito sofridas e controladas e desde essa altura que cortar o cabelo estava fora de questão. 

Cheguei a tê-lo (e não há muito tempo) pelo rabiosque... ui! Hoje em dia não me imagino com esse look whatsoever. A mudança aconteceu de forma lenta. No verão passado consegui dar o primeiro grande corte e ficou acima do peito, gostei da sensação mas não me imaginava a ser mais radical...

O Lob ou Long Bob foi-se tornando cada vez mais um favorito, sendo a Olivia Palermo a inspiração suprema (apesar de não ter o mesmo volume de cabelo, infelizmente). Da última vez que o fui pintar comecei a pensar: porque não aproveitar o final do verão, livrar-me do cabelo estragado e fazer o corte que sempre quis?

Aconteceu tudo de uma forma relativamente descontraída, claro que o Ivan, que me pinta e corta o cabelo há anos, é um santo e aturou-me durante os meus devaneios! A certa altura era eu a pedir-lhe para cortar mais curto. Queria que ficasse claramente um lob e para isso era preciso desprender-me do comprimento longo.

Fiquei TÃO feliz quando vi o resultado final e as reações têm sido óptimas! Foi o meu primeiro corte a sério na idade adulta e sinto que agora existem outras possibilidades de o pentear e estilizar. Normalmente ando com risco ao meio e mais para o liso mas agora também consigo fazer risco ao lado (e gostar) e tornou-se muito mais rápido e simples fazer estas ondas descontraídas. 

Mesmo em termos de moda sinto que agora existem outros estilos que posso explorar e que anteriormente não ficavam tão bem com o cabelo comprido. Abriu-se todo um mundo de possibilidades♥ 

Espero não ter sido muito exagerada ao contar-vos a minha história. Também passaram pelo trauma de cortar o cabelo? Qual o vosso estilo preferido?

6 comentários

  1. Fica-te tão bem!! Admito que ainda não tive coragem de fazer um corte "à adulta", como lhe chamas ahah.
    Tenho o cabelo super comprido (não está pelo rabisque mas quase) e adoro.
    Acho que isto se deve a um trauma de criança mais "forte" que o habitual. Lembro-me de quando fui para a primária apanhei piolhos e a minha avó fez-me um corte... à avó. Curtinho como tudo e com uma altura astronómica em cima.
    Ainda hoje só de pensar dá-me vontade de chorar.

    Marta Rodrigues, Majestic

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ui!!! Também estás marcada! Percebo-te =) adoro cabelo comprido e se não tens vontade de o cortar aproveita-o muito ihihihi
      Quando estiveres com vontade, prepara-te para suar no cabeleireiro, de nervos!!! *
      Ah, obrigada <3

      Eliminar
  2. Ficas LINDA!!! :D
    Eu nunca tive grandes traumas com cortes de cabelo... Já o tive pelo meio das costas e cortei estilo pixie, só porque estava farta. :P
    Tive uma má experiência enquanto estava grávida, o corte não ficou nada como pedi e senti-me horrível, portanto percebo o que queres dizer. Mas esse lob fica-te muito muito bem! :)

    ResponderEliminar
  3. Obrigada =D <3
    Acho que nunca seria capaz de fazer uma mudança tão drástica como tu, mas acredito que tenha sido libertador! E se gostaste do resultado final, bem divertido até.
    Acho que todas nós já tivemos más experiências, eu fico feliz por ter conseguido arriscar *

    ResponderEliminar

Professional Blog Designs by pipdig